“Agora já não vai ter mais descanso”
“Agora já não vai ter mais descanso”

Corria a primavera de 2018, eu estava grávida e disseram-me a seguinte frase:

"Agora já não vai ter mais descanso"

Confesso que em poucos segundos fiz um overview da minha vida enquanto filha e constatei mentalmente: "Fogo! Pois é! Está preocupação de saber se está tudo bem nunca mais vai acabar" 

Fiquei assustada e engoli todo aquele peso e frustração de não conseguir controlar nada.

Tinham passado poucos meses de gravidez e já sentia o peso da fragilidade, da impermanência da vida e da falta de controlo que eu tinha.

Agora, olho para a minha vivência e percebo que era regida pela ansiedade, o medo e o controlo.

Percebo o quão distante estava de mim. O quão desconectada estava da minha verdadeira essência.

baby-g10fde32da_1920

Hoje aprendi a viver com isso. Esses conceitos existem é certo, Mas eu Escolho não lhes dar atenção.

Escolho olhar para a fragilidade da vida e viver cada dia, cada respirar com presença. 

Agora sei, que o que verdadeiramente importa é o que eu penso, faço e digo no momento presente. O futuro só é importante se eu souber viver o momento presente, no aqui e agora.

Escolho olhar para a impermanência da vida com a sinceridade de um sorriso amoroso. Nada posso fazer, para além de me render e fluir com a vida. Tenho intuído que o controlo é filho do ego (o nosso caro egoísmo). Nem sempre é fácil? Não. Há dias que não consigo? Sim, mas a vida é isto mesmo, um aprimorar de verdade de alma e menos egoísmo. Por isso, aceito a impermanência como minha amiga de uma vida cheia de histórias para contar.

Claro que no meio de tudo isto ainda anda o medo de mãos dadas, mas a esse digo-lhe que se fosse para viver com medo não tinha vindo aqui à Terra.

Medo, tu podes convencer-me que existes, mas não passas do filho maior do meu egoísmo, por isso não te dou muitos ouvidos.

Mãe Maravilhosa, o convite hoje é para te superares, para libertares a ansiedade, o medo, o controlo.

Com carinho,

Filipa Sobral